Contato

Ciclo de vida de um produto: entenda como funciona no mercado da moda

Já imaginou um mundo onde todos os produtos durassem uma infinidade, não houvesse tendências tão transitórias e as pessoas usassem calçados, roupas, carros e outros bens duráveis indefinidamente? Além da monotonia à qual estaríamos sujeitos, a verdade é que a economia precisa de um mercado em que haja um ciclos de vida de produtos bem definidos.

Ainda mais no segmento de moda, esses ciclos são inevitáveis. Empresários, confeccionistas, atacadistas e varejistas precisam entender direitinho as etapas destes ciclos. Isso permite ajustar os processos a fim de explorar ao máximo o auge das vendas sem fabricar ou comprar excedentes que fiquem encalhados no estoque.

Quer entender como é o ciclo de produto no mercado da moda e como aproveitá-lo? Então continue conosco!

O que é o ciclo de vida de um produto de moda?

Trata-se dos estágios que um novo produto atravessa no mercado, desde o seu surgimento, crescimento, auge, decadência até o desaparecimento. No mundo da moda, isso é extremamente comum e, muitas vezes, acontece em intervalos muito rápidos. O ciclo de coleção é um bom exemplo.

É fundamental saber como aproveitar cada uma dessas etapas para criar e lançar produtos, impulsioná-los e saber quando encerrar a sua produção. Vamos conhecê-las!

Quais são as etapas do ciclo de vida de um produto de moda?

Introdução

Acontece desde o lançamento de um produto até o ponto em que as vendas realmente começam a acontecer. Geralmente, nessa etapa existe pouca — ou até nenhuma — concorrência.

A fim de introduzir um produto com sucesso, a empresa precisa pensar nas melhores formas para atrair clientes: preços, valor agregado, benefícios e escolha dos canais de distribuição, além de investimentos em marketing e publicidade.

Uma boa dica para um lançamento assertivo é baseá-lo em previsões de tendências feitas por ferramentas de Business Intelligence. Elas identificam necessidades e desejos do mercado, ampliando as chances de acertar no desenvolvimento do produto.

Crescimento

Nessa etapa, o produto já é conhecido e valorizado por um número maior de consumidores. As vendas aumentam rapidamente e é possível produzir em grande escala. Os concorrentes começam a “correr atrás” para lançar produtos similares.

Esse estágio permite o aumento do valor do produto, investimento na diferenciação e criação de ações para desenvolver a preferência pela marca. É importante preparar-se a fim de atender à demanda crescente com expansão da produção e canais de distribuição.

Maturidade

Essa fase é marcada pelo ápice das vendas, bem como pela estabilização da concorrência e do lucro. A demanda ainda não caiu, porém os concorrentes costumam apostar na guerra de preços ou vantagens adicionais para conquistar o que ainda é possível no mercado.

A melhor estratégia para esse período é apostar na diferenciação, seja em alguma característica do próprio produto ou pelo atendimento. Encantar o cliente continua sendo a chave para permanecer em posição de referência.

Saturação

A saturação é o pico de oferta, o que torna a competição extremamente acirrada. Muitos concorrentes oferecem o mesmo produto e, como se pode esperar, o resultado é a desvalorização.

As empresas que criaram uma boa estratégia de branding ainda conferem uma imagem de originalidade e valor, ao contrário de ofertas “genéricas”.

Declínio

Nesse estágio, o produto torna-se obsoleto e o interesse do consumidor cai. O mercado já está ávido por novidades e disposto a migrar seu foco para produtos diferenciados.

Antes de decretar a morte de um produto, é importante avaliar os motivos do declínio e se existe a possibilidade de reverter a situação. Pequenas inovações e uma forte estratégia de marketing podem ser eficientes para prolongar o ciclo de vida.

Porém, caso a morte do produto seja inevitável, a empresa deve planejar sua retirada do mercado da melhor forma possível, a fim de evitar perdas. Isso pode significar a suspensão da produção e a realização de promoções para desovar o estoque.

O ciclo de vida de um produto de moda pode variar muito. Nem todos os itens percorrem as etapas no mesmo momento. O ciclo de vida de um acessório pode ser mais longo do que o de uma peça de vestuário ou calçado. A gestão inadequada pode levar alguns itens à saturação sem terem alcançado a maturidade. A duração dessas etapas também varia de acordo com o tipo de produto. Os clássicos têm ascensão mais lenta, porém um ciclo mais duradouro. Por outro lado, as modinhas transformam-se em uma febre de vendas mas têm declínio extremamente rápido.

Entendeu como uma empresa pode aproveitar cada etapa do ciclo de vida de um produto? Quer ter acesso a outros conteúdos como este? Então assine nossa newsletter!

Compartilhar

Fazer um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *