fbpx

Custo de produção de uma peça de roupa: 4 conceitos que você precisa conhecer antes de planejar sua coleção

Muitos gestores de confecções ainda se confundem na hora de calcular o custo de produção de uma peça de roupa. Caso tudo não seja feito corretamente, haverá impacto direto na formação dos valores, podendo prejudicar as vendas e/ou reduzir a margem de lucro por unidade vendida.

Preços muito elevados dificultam as vendas, e preços muito baixos colocam em dúvida a qualidade dos materiais utilizados na fabricação e a credibilidade da marca.

Para calcular o custo de uma peça, além de acompanhar o mercado, pesquisar matérias-primas e negociar com fornecedores, o gestor deve identificar individualmente cada item que compõe a produção da peça.

Não sabe como? Veja a partir de agora 4 conceitos que você precisa dominar para calcular corretamente o custo de produção de uma peça de roupa!

1. Custos fixos

Representam os custos que não variam conforme a quantidade de peças de roupas produzidas e/ou vendidas, e são pagos para manter a empresa funcionando.

Podemos dizer que os custos fixos são os gastos que não podem ser evitados, independentemente do nível de produção e vendas. 

Veja os principais custos fixos de uma empresa abaixo:

  • aluguel;
  • salários;
  • material de limpeza;
  • segurança.

2. Custos variáveis de vendas

São os gastos gerados com o processo de vendas. Diferentemente dos custos fixos, os custos variáveis são influenciados pelo volume de produção e processo de venda, ou seja, quanto maior for a produção e vendas, maior serão os custos variáveis.

Alguns dos principais custos variáveis são:

  • comissões de vendedores;
  • energia gasta na produção das peças;
  • frete e logística;
  • matéria prima e insumos.

3. Margem de lucro

É o percentual adicionado aos custos totais (custos fixos + custos variáveis) ao valor unitário das peças de roupas, formando o preço final da comercialização e definindo a porcentagem de lucro que a empresa terá em cima daquela venda. Ou seja, é quanto a empresa pretende ganhar sobre a venda de cada peça.

Esse cálculo deve ser feito considerando os preços praticados no mercado para se ter uma ideia de quanto poderá ser cobrado por unidade. Os percentuais no segmento de moda variam de 15% a 30%, dependendo da marca, tipo de coleção, estação do ano etc.

4. Margem de contribuição

A margem de contribuição é representada pela diferença entre as receitas geradas com as vendas menos custos e despesas variáveis: Margem de Contribuição = Valor das Vendas – (Custos Variáveis + Despesas Variáveis).

Em outras palavras, a margem de contribuição revela quanto a receita de vendas contribuirá (depois de cobrir as despesas variáveis) com as despesas fixas e o lucro líquido da empresa.

O cálculo pode ser feito com base no volume total de vendas do período, volume de vendas por linha de produtos e por unidade vendida.

Por fim, recomendamos o uso de um ERP específico para confecções. Assim, você pode ter todas essas informações automatizadas no sistema, evitando o desperdício de tempo e anulando os riscos de equívocos com os cálculos manuais.

Essa é a melhor forma de saber qual é o real custo de produção de uma peça de roupa na sua confecção. Gostou das dicas? Aproveite para descobrir também por que um ERP na nuvem pode ser o que faltava na sua confecção!

NÓS LIGAMOS PARA VOCÊ